domingo, 24 de abril de 2011

Batalhão de Caçadores Especiais 357


Para todos os meus companheiros e amigos que ao longo de décadas nesta grande elite que são os Caçadores Especiais 357Caçadores 5, Centro de Instrução de Operações Especiais para soldados. Quero afirmar com a minha viva voz, que nós fomos especializados para sermos elite... e provámo-lo nas missões mais perigosas que nos foram confiadas no norte de Angola. Cuimba, Coma, Luvaca, Buela e Pangala, em meados de Outubro de 1963 a Companhia Caçadores 307, que tinha sido destacada, é integradas, no Comando da defesa de Luanda. Passando pelo Zala, Nambuangongo, Muxima, Cabo Ledo e Luanda, para orgulho do nosso  B.C.E. 357, conhecido mais pelo Rebenta e os que em nós apostaram. Porque não tivemos tempo Para pensar, excederam todas as expectativas. Mesmo as mais optimistas... a maioria dos meus camaradas e amigos sempre me conheceu como o pombo electricista competente que dava a manutenção há rede eléctrica, também fui eu que montei a rede eléctrica dentro e fora do aquartelamento e também ás viaturas integrado em todas actividades técnicas e como inventor e foi assim em Angola … Com a minha inteligência e sabedoria e a minha esperteza consegui de me escapar algumas operações miliares… o homem com a sua imaginação consegue tudo, além disso o homem é aquilo que pensa. Hoje temos feridas abertas (físicas) as psicológicas são mais difíceis de curar.

Fotos


Mina anti-pessoal









Recruta, Carlos Pombo



Recruta 1961, primeiro 1* pelotão da CCE 307, em Caçadores 5



grupo dos espectáculos do exército, como palhaço “Cá, Cá”



Nos nossos tempos livres, muito poucos que eram.



Avioneta do correio





Zala



As minas intelegentes